Sêmen – Primeira Parte – Epílogo

Publicado: maio 24, 2011 em Mini-saga Sêmen, Sêmen - arco Solidão

Origens Vertigens

Não se lembra certo daquele dia em que saíra sanguinolenta e chorosa por entre as pernas de sua mãe. Não se lembra que lugar de terra gretada e depois vermelha esteve em suas primeiras incursões nesse mundo, a que alguns adjetivam de todos, e que, no entanto, é o mundo de cada um, o mundinho das ‘(im)percepções’.  Talvez fosse esse momento de origem o ponto em que tudo se fundou, nas solidões e fraternidades.  O ninho quente e aquoso, depois revelado em ar sem fim a forçar os pulmões e o diafragma ainda imaturos. As primeiras sensações desavisadas e os avisos de aprender para sobreviver. E tudo era inóspito se não fosse por essa eterna companhia, a fraterna maternidade. E ainda hoje a pergunta ecoa pela verdadeira fraternidade em uma enormidade de passagens por si e pelo outro. Onde estará essa amiga faminta, fraternidade, que só existe pelo outro e se extingue numa vertigem, num escape de amar?

Keila Costa

Anúncios
comentários
  1. Eliéser Baco disse:

    A estréia de Keila Costa conosco é um especial momento.
    Irá somar e muito ao projeto que hora chega no final de sua primeira parte.

    Parabens pela categoria e talento Keila.

    abraço a todos que caminham nessa chuva peregrina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s